Vamosaprender's Blog

Curiosidades, aprender fazendo e criação

Eleição na floresta

     
 O Jabuti é o Novo Rei!!!
Numa floresta distante
Pelo homem não tocada
Regime de monarquia
Que vivia a bicharada
O Leão sempre foi rei
Nenhuma mudança aceitava
Dizem que o rei leão
Com gemido assustava
Sempre ditando as regras
E Todo bicho aceitava
Pelo regime da força
A selva sempre governava
Muitos anos se passaram
Sem nenhuma solução
Muitos bichos descontentes
Com o governo do leão
Resolveram se juntar
Pra falar de uma eleição
Vejam o cordel completo aqui:


Deixe um comentário »

Horário de verão

 

 

Horário de verão começa no dia   21 de outubro e vai até 17 de fevereiro.


 O horário de verão 2012/2013 vai começar no dia 21 de outubro de 2012.
Ou seja, a partir desta data, até a zero hora de 17 de fevereiro de 2013,
as pessoas que moram nas regiões Sul, Sudeste e Centro do Brasil,
devem adiantar seus relógios em uma hora.

Fonte: Profa. Sonia Ueba – Professores Solidários

Deixe um comentário »

Que fofura!!!!

Acabo de encontrar na revista Monet os filhos das princesas…veja que gracinha!!!

Obra de uma artista sueca e membro da comunidade de arte digital devianART.

Aladdin

A Pequena Sereia

Mulan

Hércules

Tarzan

A Princesa e o Sapo

Enrolados

Pocahontas

A Branca de Neve e Os Sete Anões

Cinderella

A Bela Adormecida

Fonte: http://www.revistamonet.com.br

3 comentários »

Que gracinha!!!

Recebi este vídeo por e-mail e…. adorei!!! Aliás, eu a – do – roooooo a Cidade do Livro!!!

Deixe um comentário »

Você conhece a anatomia de um leitor?

Deixe um comentário »

Você sabia?

Com certeza, o meio ambiente agradece!!!

1 Comentário »

Eco Pensar – ideias inteligentes

Recebi este e-mail e não sei a autoria, quem souber…me avise!!

Reciclagem com TAMPINHAS DE GARRAFAS:
Arte em EMBALAGEM DE OVOS:
PNEUS viram cadeiras e bancos:
Parede feita com GARRAFAS PET:
Cortina de GARRAFAS PET:
Diversão PET:
Brincando e reciclando:
COMEDOURO:
LATAS decoradas com PREGADORES DE ROUPA:
Reutilização:
CAIXOTES:
Luminária feita com ANÉIS DE LATA:
Projetos de REDUÇÃO DE EMISSÃO:
Monte sua luminária com CABIDE e LATAS DE ATUM:
Luminária feita de GALÃO DE ÁGUA e COLHERES DESCARTÁVEIS:
Corujas feitas em ROLINHOS DE PAPEL HIGIÊNICO:
CAIXAS DE LEITE recicladas:
Parede revestida de TAMPAS DE LATA:
Lamparina feita usando LÂMPADAS QUEIMADAS:
Deixe um comentário »

Férias

Ferias

Beijos

fonte: http://www.punjabigraphics.com

Deixe um comentário »

“Eu sei, mas não devia” – Marina Colasanti

Eu sei que a gente se acostuma. Mas não devia.

A gente se acostuma a morar em apartamentos de fundos e a não ter outra vista que não as janelas ao redor. E, porque não tem vista, logo se acostuma a não olhar para fora. E, porque não olha para fora, logo se acostuma a não abrir de todo as cortinas. E, porque não abre as cortinas, logo se acostuma a acender mais cedo a luz. E, à medida que se acostuma, esquece o sol, esquece o ar, esquece a amplidão.

A gente se acostuma a acordar de manhã sobressaltado porque está na hora. A tomar o café correndo porque está atrasado. A ler o jornal no ônibus porque não pode perder o tempo da viagem. A comer sanduíche porque não dá para almoçar. A sair do trabalho porque já é noite. A cochilar no ônibus porque está cansado. A deitar cedo e dormir pesado sem ter vivido o dia.

A gente se acostuma a esperar o dia inteiro e ouvir no telefone: hoje não posso ir. A sorrir para as pessoas sem receber um sorriso de volta. A ser ignorado quando precisava tanto ser visto.

A gente se acostuma a pagar por tudo o que deseja e o de que necessita. E a lutar para ganhar o dinheiro com que pagar. E a pagar mais do que as coisas valem. E a saber que cada vez pagará mais. E a procurar mais trabalho, para ganhar mais dinheiro, para ter com que pagar nas filas em que se cobra.

A gente se acostuma a andar na rua e ver cartazes. A abrir as revistas e ver anúncios. A ligar a televisão e assistir a comerciais. A ir ao cinema e engolir publicidade. A ser instigado, conduzido, desnorteado, lançado na infindável catarata dos produtos.

A gente se acostuma à poluição. Às salas fechadas de ar condicionado e cheiro de cigarro. À luz artificial de ligeiro tremor. Ao choque que os olhos levam na luz natural. Às bactérias da água potável.

A gente se acostuma a coisas demais, para não sofrer. Em doses pequenas, tentando não perceber, vai afastando uma dor aqui, um ressentimento ali, uma revolta acolá. Se a praia está contaminada, a gente molha só os pés e sua no resto do corpo. Se o cinema está cheio, a gente senta na primeira fila e torce um pouco o pescoço. Se o trabalho está duro, a gente se consola pensando no fim de semana. E se no fim de semana não há muito o que fazer a gente vai dormir cedo e ainda fica satisfeito porque tem sempre sono atrasado.

A gente se acostuma para não se ralar na aspereza, para preservar a pele. Se acostuma para evitar feridas, sangramentos, para poupar o peito. A gente se acostuma para poupar a vida. Que aos poucos se gasta, e que, gasta de tanto acostumar, se perde de si mesma.

Li e adorei este texto!!! Compartilho com vocês!!

Deixe um comentário »

Cecília Meireles

As Meninas
~~~~~~~~~~~~~~
Arabela
abria a janela.
Carolina
erguia a cortina.
E Maria
olhava e sorria:
“Bom dia!”
Arabela
foi sempre a mais bela.
Carolina,
a mais sábia menina.
E Maria
apenas sorria:
“Bom dia!”
Pensaremos em cada menina
que vivia naquela janela;
uma que se chamava Arabela,
uma que se chamou Carolina.
Mas a profunda saudade
é Maria, Maria, Maria,
que dizia com voz de amizade:
“Bom dia!”
A Bailarina
~~~~~~~~~~~~~~
Esta Menina
Tão pequenina
Quer ser bailarina
Não conhece nem dó nem ré,
Mas sabe ficar na ponta do pé.
Não conhece nem mi nem fá,
Mas inclina o corpa para lá e para cá.
Não conhece nem lá nem si,
Mas fecha os olhos e sorri.
Roda, roda, roda com os bracinhos no ar
E não fica tonta nem sai do lugar.
Põe no cabelo uma estrela e um véu
E diz que caiu do céu.
Esta Menina
Tão pequenina
Quer ser bailarina
Mas depois esquece todas as danças,
E também quer dormir como as outras crianças.
Na chácara do Chico Bolacha
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Na chácara do Chico Bolacha
o que se procura
nunca se acha!
Quando chove muito,
O Chico brinca de barco,
porque a chácra vira charco.
Quando não chove nada,
Chico trabalha com a enxada
e logo se machuca
e fica de mão inchada.
Por isso, com o Chico Bolacha,
o que se procura
nunca se acha.
Dizem que a chácara do Chico
só tem mesmo chuchu
e um cachorrinho coxo
que se chama Caxambu.
Outras coisas, ninguém procura,
porque não acha.
Coitado do Chico Bolacha!
Leilão de Jardim
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Quem me compra um jardim com flores?
borboletas de muitas cores,
lavadeiras e passarinhos,
ovos verdes e azuis nos ninhos?
Quem me compra este caracol?
Quem me compra um raio de sol?
Um lagarto entre o muro e a hera,
uma estátua da Primavera?
Quem me compra este formigueiro?
E este sapo, que é jardineiro?
E a cigarra e a sua canção?
E o grilinho dentro do chão?
(Este é meu leilão!)
Deixe um comentário »